Quinta-feira, 26 de Fevereiro de 2009

Crítica de Fernando Sobral no "Jornal de Negócios" de 21 de Fevereiro

 O amor é um território minado. E isso José Couto Nogueira sabe explicar como poucos. No fundo este belo romance é uma carta de amor sobre paixões que se encontraram e perderam, sobre a roupa de marinheiros que os homens vestem para se perderem, em terra firme, perante o encanto fatal das sereias. É quase, arriscava dizer, um livro sobre a forma como as mulheres vêem os homens, do ponto de vista de um homem que soube que eles perderam o jogo do amor. Há uma frase que nos diz tudo: “Alexandre, perplexo, olha para Mariana, a pedir uma âncora. Ela retribui o olhar, divertida, a negar-lha – mas com ternura”. José Couto Nogueira escreve sobre o amor imenso que se esbanja em busca da felicidade. A única coisa que conta.

 

FS

publicado por Perplexo às 22:00
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim


ver perfil

. 21 seguidores

O meu blogue

Perplexo

 

 

arquivos

Dezembro 2012

Novembro 2012

Setembro 2011

Agosto 2011

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

subscrever feeds